terça-feira

Distorção





Sou existência
toldada,
involuntária e
desanimada.
Encarno
realidades
sobre descargas de luz,
na mistura de sensações percebidas
e recordadas.
Apreendo ao entardecer,
os lugares que vivi e os que vivo
numa distorção chamada saudade,
num engano dos sentidos,
que não me reverte,
não me legitima,
nem me devolve
ao ponto de partida.

Sem comentários:

Enviar um comentário